quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Versículo do Dia

Versículo do Dia


O Senhor, pois, é aquele que vai adiante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará; não temas, nem te espantes.
Deuteronômio 31:8

PÃO DIÁRIO - 05/08/2015 - Passe adiante


Passe adiante

…sois participantes dos sofrimentos, assim o sereis da consolação. —2 Coríntios 1:7


Ao longo dos anos percebi que aqueles que sofreram são rápidos em consolar outros que estão sofrendo. Quando um jovem casal sofre com a perda de um filho, outro casal que também perdeu um filho no passado oferece a sua ajuda. Se um casal perde sua maior fonte de renda, quase que imediatamente outro casal dá um passo para oferecer socorro, lembrando-se de sua própria jornada pelos anos de pagamento de hipoteca. Vez após outra vemos o corpo de Cristo apoiando e encorajando uns aos outros. Estes cristãos aprenderam que podem usar as provações pelas quais passaram para alcançar outros que passam por dificuldades semelhantes.
Você está doente? Perdeu algum ente querido? Está preso? É tratado com injustiça? Em todas as nossas provações, Deus promete trazer algo bom mesmo de nossos momentos mais obscuros (Tiago 1:2-4). Uma maneira-chave de exemplificar isso é quando compartilhamos o consolo que Ele nos ofereceu com aqueles que agora enfrentam provações.
Como o apóstolo Paulo ressalta no livro de 2 Coríntios 1:3-7, somos consolados por um Salvador que conhece o nosso sofrimento e nós o honramos quando passamos Seu consolo adiante para tranquilizar outros.
Que nunca deixemos alguém sofrer sozinho. Se soubermos que os outros estão passando por dificuldades, Deus nos ajudará a guiá-los à Sua presença — o consolo mais seguro de todos.
— Randy Kilgore


Leia: 2 Coríntios 1:3-7 


Examine: A Bíblia em um ano: Salmos 60-62;Romanos 5


Considere: Deus nos consola para que possamos consolar os outros.

Quando virá nosso Senhor?

Resultado de imagem para Quando virá nosso Senhor?


 Cerca de 1.660 anos antes do nascimento de Jesus, Balaão proclamou que o rei Jesus haveria de vir. Balaque se sentiu incomodado com as palavras do vidente: "Vê-lo-ei, mas não agora; contemplá-lo-ei, mas não de perto; uma estrela procederá de Jacó, de Israel subirá um cetro..." (Nm 24.17). Jesus é esta estrela!

 Jó antecipou a chegada deste dia proclamando: "Porque eu sei que o meu redentor vive e por fim se levantará sobre a terra" (Jó 19.25).

 As profecias bíblicas vêm se cumprindo uma após outra, desde os dias de Adão! Poderíamos falar de Gn 3.15 que se cumpriu em Jesus.

 Nas escrituras Deus fala em anos e em dias, e às vezes dias significam anos. "Sabe com certeza, que a tua posteridade será peregrina em terra alheia, e será reduzida à escravidão, e será afligida por quatrocentos anos... Na quarta geração, tornarão para aqui; porque não se encheu ainda a medida da iniquidade dos amorreus" (Gn 15.13-16). Deus aqui fala em anos, e de fato cumpriram-se 400 anos de Abraão até a saída do povo de Israel do Egito. São 430 anos a partir da chamada de Abraão em Ur da Caldéia.

 Observe a expressão: "Ainda não se encheu a medida de pecado dos amorreus", indicando que na agenda de Deus ainda demoraria quatrocentos anos para que o pecado daquele povo enchesse o cálice da ira de Deus.

 Deus tem lá sua agenda pessoal e sua programação especial.

 Por exemplo, no programa divino Israel deveria ficar setenta anos no cativeiro da Babilônia, como afirmou Jeremias. "Toda esta terra virá a ser um deserto e um espanto; estas nações servirão ao rei da Babilônia setenta anos" (Jr 25.11).

 Esta foi a chave que Daniel usou para abrir os céus sobre o povo do cativeiro. "No primeiro ano de Dario... No primeiro ano do seu reinado, eu, Daniel, entendi, pelos livros, que o número de anos, de que falara o Senhor ao profeta Jeremias. Que haviam de durar as assolações de Jerusalém, era de setenta anos" (Dn 9-1-2). E ele se pôs a jejuar e a orar a respeito.

 Jerusalém caiu nas mãos de Nabucodonosor na primavera de 606 a.C. e o povo pôde retornar na primavera de 536 a.C. (Esdras 1.3). Exatamente setenta anos depois.

Existem profecias em que "dias" querem dizer dias de vinte e quatro horas, e outras que se referem a "dias" que querem dizer anos. Um ano como se fosse um dia. Por exemplo, João fala que haverá uma tribulação de 1.260 dias ou três anos e meio - quarenta e dois meses (Ap 12.6,14 e 13.5). Aqui dias, referem-se mesmo a dias normais.

Já Ezequiel se refere a dias que querem dizer anos. Observe esta profecia de Ezequiel 4.4-7:

"Deita-te também sobre o teu lado esquerdo e põe a iniquidade da casa de Israel sobre ele; conforme o número dos dias que te deitares sobre ele, levarás sobre ti a iniquidade dela. Porque eu te dei os anos da sua iniquidade, segundo o número dos dias, trezentos e noventa dias; e levarás sobre ti a iniquidade da casa de Israel. Quando tiveres cumprido estes dias, deitar-te-ás sobre o teu lado direito e levarás sobre ti a iniquidade da casa de Judá. Quarenta dias te dei, cada dia por um ano. Voltarás, pois, o rosto para o cerco de Jerusalém, com o teu braço descoberto, e profetizarás contra ela". (Sublinhei no texto em que os quarenta dias são, na realidade, quarenta anos).

 Mas, porque o cativeiro de Israel não terminou com o retorno do povo para Jerusalém sob a liderança de Neemias e mais tarde com Esdras? Israel nunca mais foi nação independente desde o cativeiro. Apesar do povo retornar para a Palestina, reinos e impérios governaram sobre Israel, sucessivamente. Medos e persas, gregos, egípcios, romanos e depois da destruição de Jerusalém nas mãos de várias nações do oriente médio. A Dispersão continuou até 14 de maio de 1948 quando Israel se tornou novamente nação.

 A resposta está na advertência dada a Moisés ainda no deserto a caminho de Canaã. "E se ainda com estas coisas não me ouvirdes, então, eu prosseguirei em castigar-vos sete vezes mais por causa dos vossos pecados... Trarei sobre vós pragas sete vezes mais" (Lv 26.18, 21). Cada dia ou ano deve ser multiplicado por sete.

 Jeffrey Grant, escritor canadense fez o seguinte cálculo: Somando-se 390 dias (anos) mais 40, Jeffrey calculou que o castigo de Israel duraria 430 anos. Deduzindo os setenta anos que haviam passado no cativeiro, ainda restariam 360 anos de castigo.  Ora, examinando a história descobre-se que os judeus não estabeleceram um país independente no final dos 360 ou dos 430 anos previstos. Então Jeffrey multiplicou 360 x 7 e encontrou 2.520 anos!

 A partir daí o cálculo segue complicado, mas Jeffrey assim deduz: O cativeiro da Babilônia terminou na primavera do ano 536 a. C. 2.520 anos bíblicos de 360 dias que juntos somam 907.200 dias. Convertendo este tempo no nosso calendário anual de 365.25 dias, dividimos o período de 907.200 dias por 365.25 alcançando um total de 2.483.8 anos em nosso calendário atual... Levando em conta que não houve o ano zero entre 1 a.C. e 1 d.C. o renascimento de Israel ocorreu na data prevista de 15 de maio de 1948.

 14 de maio de 1948, ano do renascimento de Israel. Temos aí um dado preciso de que a profecia se cumpriu plenamente.

 A pergunta que temos de fazer é: Onde estamos no relógio de Deus? Jesus não anuncia o dia de seu retorno, mas orienta seus discípulos a serem vigilantes. Para tanto, conta várias parábolas.

 Em Mateus 24 os discípulos perguntam: "Dize-nos, quando acontecerão essas coisas? E qual será o sinal da tua vinda e do fim dos tempos?" (v 3). A seguir, no mesmo capítulo Jesus conta a parábola da figueira e fala dos dias de Noé. "Como foi nos dias de Noé, assim também será na vinda do Filho do homem. Pois nos dias anteriores ao Dilúvio, o povo vivia comendo e bebendo, casando-se e dando-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca; e eles nada perceberam, até que veio o Dilúvio e os levou a todos. Assim acontecerá na vinda do Filho do homem".

 Quer dizer a vida continua normal. Jesus não está condenando a geração dos dias de Noé porque comiam e festejavam, e sim, alertando-nos que sua vinda ocorrerá dentro da normalidade. Trabalhamos, criamos filhos, banqueteamo-nos, casamos filhos "e não percebemos". Termina contando sobre o pai que, se soubesse a hora que o ladrão vem para roubar a sua casa "ele ficaria de guarda e não deixaria que a sua casa fosse arrombada" (v 43). E termina: "Assim, vocês também precisam estar preparados, porque o Filho do homem virá numa hora em que vocês menos esperam" (v 44).

 Note que Jesus alerta para o efeito surpresa. Os ladrões da época não agiam silenciosamente, mas em bando. Chegavam numa cidade fazendo arruaça - como naqueles filmes de faroeste em que chegavam atirando. Depois conta a parábola do servo mau e repete a surpresa de sua vinda: "O senhor daquele servo virá num dia em que ele não o espera e numa hora que não sabe" (v 50).

 Conta, a seguir a parábola das virgens e a dos talentos apontando para a chegada repentina do noivo, que parece atrasado, e do senhor do dinheiro, que não se sabe a hora de sua volta.

 Assim, é bom ficarmos preparados. Porque a vinda de Jesus ou o arrebatamento poderá pegar muita gente de surpresa, menos os que estão preparados. Como afirma Paulo:

"Pois vocês mesmos sabem perfeitamente que o dia do Senhor virá como ladrão à noite. Quando disserem: "Paz e segurança", a destruição virá sobre eles de repente, como as dores de parto à mulher grávida; e de modo nenhum escaparão. Mas vocês, irmãos, não estão nas trevas, para que esse dia os surpreenda como ladrão" (1 Ts 5.2-4).

 É vigiar e esperar. Antenas em pé captando o ruído dos seus passos. Ele virá, não tardará!




Por João A. de Souza Filho

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Versículo do Dia

Versículo do Dia

E eles o constrangeram, dizendo: Fica conosco, porque já é tarde, e já declinou o dia. E entrou para ficar com eles.
Lucas 24:29

PÃO DIÁRIO - 04/08/2015 - Pensamentos mordazes


Pensamentos mordazes

…tu me tens sido alto refúgio e proteção no dia da minha angústia. —Salmo 59:16


Há muitos anos, meu pai e eu fizemos uma longa caminhada pela região de Big Bend no Texas, EUA. Atualmente, a região é um parque nacional, mas naquela época era um lugar hostil.
Certa noite estávamos abrindo nossos sacos de dormir quando um casal, acompanhado de seu cachorro, nos perguntou se poderiam acampar por perto. Nós os saudamos e fomos nos deitar. O casal amarrou o seu cachorro a uma estaca ao lado de sua barraca. Algumas horas depois, meu pai cutucou-me até eu acordar e apontou sua lanterna para a escuridão. Nós vimos pares de olhos amarelos surgindo das sombras, iluminados pela luz. Uma alcateia de coiotes mordazes e rosnadores estava cercando o cachorro. Embora os tivéssemos afugentado e os nossos vizinhos tivessem colocado o cachorro dentro da barraca, não dormimos direito.
Penso nessa noite quando leio o Salmo 59 e vejo a imagem que Davi utilizou por duas vezes: “Ao anoitecer, uivam como cães…” (vv.6,14). Davi estava pensando no exército de Saul que lhe fechava o cerco. Medito nos pensamentos que retornam para nos ameaçar, ao anoitecer; mordazes e rosnando: “Você é um imbecil, um fracasso, inútil. Quem precisa de você?”
Quando temos tais pensamentos, podemos nos deleitar no amor de Deus que é incondicional e eterno. Sua dedicação resoluta é o nosso refúgio na noite escura repleta de dúvida pessoal e medo (v.16).
— David H. Roper


Leia: Salmo 59 

Examine: A Bíblia em um ano: Salmos 57-59;Romanos 4

Considere: Saber que Deus nos ama pode dissipar a dúvida.

QUANDO A TENTAÇÃO VENCE

Resultado de imagem para QUANDO A TENTAÇÃO VENCE


 Apressa-te, ó Deus, em me livrar; SENHOR, apressa-te em ajudar-me.Salmo 70.1


Essa oração do rei Davi é do tipo que o Senhor tem prazer em responder, pois foi feita segundo a vontade divina. O fato de estar registrada na Bíblia significa que todo aquele que passa por alguma situação difícil pode clamar e receber a resposta. Ela demonstra que Davi estava certo de que sua petição seria respondida, porque orava sobre o que Deus falara ao seu coração.

Quando estiver passando por alguma tribulação, ou sentir a aproximação de uma tentação, clame ao Senhor, não deixe para depois. Se perder o toque divino, você será o responsável pelo sofrimento que houver em sua vida. Não permita que nada o envolva ou o faça cair nos laços do maligno, porque a sua experiência será dura demais. Se ele “apertar o nó”, você verá que não foi bom ter desprezado a oferta de Deus.

O propósito do Altíssimo é livrá-lo das mentiras do diabo. Após ter analisado você, o inimigo prepara uma armadilha para prendê-lo e tê-lo nas mãos. Ora, o Senhor, que é Onisciente, não deseja que vivamos sob às ações de quem é perverso, e sim sob Seu amor. Sabendo disso, Davi não perdeu tempo e orou para ser ajudado. Faça o mesmo!

Não dar importância às palavras do Senhor é loucura. Ao se deixar usar pelo inimigo, fingindo que não entendeu a mensagem, você rompeu o muro de proteção ao seu redor, e, então, o demônio pode afligi-lo. A saída é clamar, confessando o seu erro intencional ou não, sendo verdadeiro e crendo que foi perdoado.  Ao cumprir o que lhe foi mandado, além de ser abençoado, você agrada ao Pai.

Não dê tréguas ao seu coração até que tenha se encontrado com o Senhor, o qual é misericordioso. Você precisa mais de Deus do que pode imaginar; porém, não basta pensar que está bem com Ele. É necessário tê-Lo como Salvador e fazer a vontade dEle. Agarre todo entendimento que Ele lhe der pela Palavra; assim, você O terá sempre ao seu lado e desfrutará das bênçãos.

Aproveite a oferta e peça a Deus que Se apresse em livrar você, pois, como um abismo chama outro abismo, deixar para amanhã pode ser tarde. Veja onde tem caído e confesse tudo ao Senhor. Depois, fique firme na fé e não se deixe levar por nenhuma outra coisa, a não ser pelos ensinamentos da Bíblia. Quem ouve a Palavra obtém condições de ouvir o Altíssimo. Fazendo isso, a fé surgirá em seu coração e a pessoa terá autoridade do Alto.

Qualquer operação do diabo bem-sucedida em sua vida demonstra que você havia caído há algum tempo e, por isso, ele conseguiu seduzi-lo a ponto de você ter agido como ele queria. Deus pode e quer apagar o seu pecado agora, se você confessá-lo e abandoná-lo. Portanto, não perca tempo, porque o Senhor Se apressou em socorrê-lo. O Altíssimo deseja ansiosamente mudar o seu destino, mas a decisão é sua.

Em Cristo, com amor,



R. R. Soares

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Versículo do Dia

Versículo do Dia


O próprio Senhor irá à sua frente e estará com você; ele nunca o deixará, nunca o abandonará. Não tenha medo! Não se desanime! "
Deuteronômio 31:8


PÃO DIÁRIO - 03/08/2015 - Voo confirmado


Voo confirmado

…assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo. —1 Coríntios 15:22

Uma forte tempestade de trovões atrasou o nosso voo para Alemanha, e perdemos o voo de conexão. Avisaram-nos que o novo voo tinha sido confirmado para a noite seguinte. Mas quando chegamos ao portão, nos informaram de que estávamos na lista de espera. O voo estava cheio.
Quando soube disto, questionei se isto era uma simples falha de comunicação ou se era assim que lidavam com os voos perdidos. Se os passageiros tivessem sido avisados de antemão que estavam em lista de espera, ficariam descontentes. Daí talvez tivessem deixado para contar a verdade mais tarde.
Felizmente, Deus não age assim. Ele nos diz claramente tudo o que precisamos saber para chegar ao céu. A Bíblia declara que “…pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23). Deus nos revelou a nossa natureza pecaminosa desde o livro de Gênesis 3 para nos dar a Sua total e completa solução.
A solução de Deus no livro de Romanos 3:24 é que nós somos “…justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus.” Deus enviou o Seu próprio Filho sem pecado para morrer por nossos pecados. O sacrifício de Jesus na cruz nos concedeu o perdão. Tudo o que precisamos fazer é receber esse dom gratuito por meio da fé. Estou muito feliz por Deus ter nos contado a verdade de antemão! Ele não nos deixou para que encontrássemos o nosso próprio caminho.
— C. P. Hia

Leia: Romanos 3:21-26 


Examine: A Bíblia em um ano: Salmos 54-56;Romanos 3


Considere: A Palavra de Deus nos garante que a obra de Cristo nos salva.

NÃO SAIA DA SUA DIGNIDADE

Resultado de imagem para NÃO SAIA DA SUA DIGNIDADE de servir a Cristo

 Afrontas me quebrantaram o coração, e estou fraquíssimo; esperei por alguém que tivesse compaixão, mas não houve nenhum; e por consoladores, mas não os achei. Salmo 69.20


O inimigo usará todos os meios para tirá-lo da sua posição em Cristo. Com isso, você não mais será uma ameaça para ele nem uma bênção para as demais pessoas. Se aceitar as afrontas do tentador, não terá forças para enfrentar as lutas e, em pouco tempo, concordará com a mentira do demônio de que não há salvação para você.

Cada investida maligna aceita faz com que você enfraqueça mais e mais. Então, em pouco tempo, estará dominado pelo autor do sofrimento. Isso é terrível, mas poucos cristãos estão atentos para esse fato. Assim, o inimigo encontra sempre uma maneira de atacá-los. Quem conhece a Verdade, mas não a usa, se faz pior do que aqueles que nunca a ouviram.

Não adianta esperar encontrar uma pessoa que ande em comunhão com Deus para que você seja liberto. Se não der à Palavra primazia em sua vida, a oração de quem quer que seja resolverá o seu problema. Consequentemente, os ataques infernais aumentarão de tal forma que o seu coração enfraquecerá até diante de um problema simples.

Não há como a consagração de alguém o ajudar se você não reconhece o que Deus diz a seu respeito. Esse é um segredo do qual você jamais se deve esquecer, pois ele o lembrará de que a sua força está no Todo-Poderoso. Então, por mais difícil que a situação pareça, você não tremerá nem confessará que está fraquíssimo ou incapaz de resolvê-la.

Alguém só poderá ajudá-lo se você estiver com ele diante do Senhor. Se não houver acordo mútuo, por certo vocês não andarão juntos  nem entrarão na presença dEle. Ainda que um esteja determinado a assumir o que lhe pertence por direito eterno em Cristo, nada ocorrerá. Só quando dois concordam em o Nome de Jesus, a obra é feita (Mt 18.19).

Consoladores de verdade são aqueles que servem ao Senhor como diz a Palavra. Mesmo assim, as duas partes precisam concordar com eles. Como vemos, a seara do Mestre exige trabalhadores sérios que cheguem a um comum acordo entre si.

Não aceite estar abaixo da linha de dignidade, pois, ao ser salvo, você se tornou participante do Corpo de Cristo e, ao ser batizado no Espírito Santo, passou a ser templo de Deus. Por isso, não aceite viver com menos do que o Senhor declara em Sua Palavra. A sua decisão lhe dará a vitória ou o afundará mais no sofrimento.

Em Cristo, com amor,



R. R. Soares

domingo, 2 de agosto de 2015

Versículos do Dia

Versículo do Dia

O Senhor é a minha força e a minha canção; ele é a minha salvação! Ele é o meu Deus e eu o louvarei, é o Deus de meu pai, e eu o exaltarei!
Êxodo 15:2


PÃO DIÁRIO - 02/08/2015 - Uma pessoa influente


Uma pessoa influente

“Disse ela à sua senhora: Tomara o meu senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria; ele o restauraria da sua lepra.” —2 Reis 5:3


Se você buscar no Google “pessoa de influência”, a pesquisa mostrará várias listas “de pessoas mais influentes do mundo”. Elas habitualmente incluem líderes políticos; empreendedores de negócios e atletas, junto a pessoas na ciência, artes e entretenimento. Você não encontrará os nomes dos cozinheiros e funcionários de limpeza que trabalham para eles. No entanto, aqueles que servem nos assim chamados cargos humildes, muitas vezes influenciam aqueles a quem servem.
A história de Naamã, um comandante de alto escalão militar, inclui dois reis e um profeta de Deus (2 Reis 5:1-15). No entanto, foram as palavras de servos sem destaque que possibilitaram a cura da lepra de Naamã, uma doença que encerrava a carreira e transformava a vida. Uma jovem criada capturada em Israel disse à esposa de Naamã que um profeta em Samaria poderia curá-lo (vv.2-3). Quando Naamã se irritou com as instruções de Eliseu para se banhar no rio Jordão, seus servos o incentivaram a seguir as ordens do profeta. O resultado foi a restauração da saúde do comandante e a sua declaração: “…agora, reconheço que em toda a terra não há Deus, senão em Israel…” (v.15).
Que bela imagem do nosso papel como seguidores de Jesus Cristo! Somos convocados para sermos pessoas de influência — servos do Senhor que direcionam os outros Àquele cujo toque pode transformar suas vidas.
— David C. McCasland

Leia: 2 Reis 5:1-15 

Examine: A Bíblia em um ano: Salmos 51-53;Romanos 2

Considere: Cristo nos envia para trazermos outros para o reino.

UM GRANDE PERIGO RONDA TODOS

Resultado de imagem para UM GRANDE PERIGO RONDA TODOS

Acrescenta iniquidade à iniquidade deles, e não entrem na tua justiça. Salmo 69.27


Quem não se arrepende de suas obras más pode estar fechando a porta dos Céus para si. Então, quando estiver perto de partir para a eternidade ou o inimigo estiver prestes a atacá-lo, talvez não sinta mais a fé impulsionando-o a se acertar com o Senhor. Jamais deveríamos viver um minuto sequer sem estar bem com o Altíssimo, pois não há como saber quando a nossa hora chegará.

A pessoa que insistir no erro, em pouco tempo, achará que aquilo que a Palavra proíbe já está liberado. Com isso, não sentirá por que deve abandonar seus maus caminhos. Só quem se arrepende (e, com orações, jejuns e lágrimas busca o perdão) consegue dar meia-volta e começar de novo na senda da obediência e do respeito. Não se engane com a facilidade que muitos pregam, mas sirva a Deus com responsabilidade.

O fato de acumular iniquidade sinaliza que algo vai mal. A trilha do pecado vai se abrindo aos poucos para aqueles que não respeitam Deus, e, aos poucos, eles vão se dando ao inimigo. Uma mentira “inocente” para obter um ganho maior, um pensamento imundo que lhe dá prazer e inspiração, ou o ato de cobiçar o que é do próximo e coisas parecidas o levarão ao precipício eterno.

Logo após o pecado, se não houver conversão, muita gente nem sentirá que há problemas em transgredir. De início, as coisas continuarão como sempre estiveram. O inimigo, por causa de algum erro seu, poderia causar-lhe um dano terrível, mas não o faz de imediato, pois o seu propósito é maior: a sua perdição. Se você tem caído, volte correndo para os braços do Senhor ou se prepare para o pior.

Quando a porta da justiça estiver fechada, de nada adiantará bater pedindo ao Senhor que a abra. Agora, é tempo de conservar o azeite, de estar pronto para as Bodas do Cordeiro, pois, quando Ele vier e cerrar os portais celestiais, não haverá quem os abra. Portanto, aproveite esse momento e se acerte com o Altíssimo, enchendo as suas lâmpadas. Você foi eleito para a vida eterna com Jesus. Por que se arriscar? Acerte-se já!

Os que continuam no pecado jamais experimentarão a obra de absolvição que lhes foi feita na cruz. Então, quando a humanidade estiver separada em dois grupos, por mais que desejem ou se esforcem para chegar ao grupo certo, nada conseguirão. Na infinita bondade de Sua graça, você pode ser purificado de todos os erros, receber o Espírito Santo e ainda ser útil nas mãos do Altíssimo.

Lute para ser alguém que acrescenta santidade à santidade, justiça à justiça, boas obras às boas obras. Assim, não existirá nada que o fará perder a entrada no Reino de Deus. O seu alvo deve ser a sua felicidade eterna, e não o acúmulo de bens ou reconhecimento humano por algo feito. Acorde! Se você se perder, não haverá segunda chance e, então, quando concluir que não valeu a pena, o seu destino não mudará.

Em Cristo, com amor,



R. R. Soares

sábado, 1 de agosto de 2015

Versículos do Dia

Versículos do Dia


Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias. Pois, quando sou fraco é que sou forte.
2 Coríntios 12:10

PÃO DIÁRIO - 01/08/2015 - O que é amor?


O que é amor?

Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho… —1 João 4:10

Se perguntamos: “O que é o amor?”, as crianças têm algumas grandes respostas. Noeli, de 7 anos, disse: “Amor é quando você diz a um garoto que você gosta da sua camisa, e ele a usa todos os dias.” Rebecca, de 8, respondeu: “Desde que a vovó ficou com artrite, ela não consegue mais se curvar e lixar as unhas dos pés. Então, o vovô sempre faz isso por ela o tempo todo, mesmo depois de suas mãos também terem artrite. Isso é amor.” Jéssica, também de 8 anos, concluiu: “Você realmente não deve dizer “eu te amo”, a não ser que você realmente queira dizer isso. Mas se você quer realmente dizer isso, deve dizer muitas vezes. As pessoas se esquecem.”
Às vezes, precisamos lembrar que Deus nos ama. Nós nos concentramos nas dificuldades da vida e questionamos: “Onde está o amor?” Mas se paramos e consideramos tudo o que Deus tem feito por nós, nos lembramos o quanto somos amados por Ele, que é amor (1 João 4:8-10).
O Salmo 103 enumera os “benefícios” que Deus derrama sobre nós em amor: Ele perdoa os nossos pecados (v.3), nos farta de bens (v.5), faz justiça e julga (v.6). Ele é lento para irar-se e rico em misericórdia (v.8). Ele não nos trata segundo os nossos pecados (v.10) e removeu o nosso pecado, desde o Oriente até o Ocidente (v.12). Ele não se esqueceu de nós!
O que é amor? Deus é amor e Ele está derramando esse amor em você e sobre mim.
— Anne Cetas

Leia: Salmo 103:1-14 


Examine: A Bíblia em um ano: Salmos 49-50;Romanos 1


Considere: A morte de Cristo é a medida do amor de Deus por você

É legítimo um cristão ser dizimista?

Resultado de imagem para É legítimo um cristão ser dizimista?


O dízimo está sendo atacado em nossos dias com rigor desmesurado. Em parte, porque muitos líderes inescrupulosos usam expedientes escusos e reprováveis para arrancar do povo o último vintém, a fim de viverem no fausto e no luxo. Outros, porque em muitas igrejas falta transparência na prestação de contas e o povo não sabe quanto entra nos cofres da igreja nem onde os recursos são aplicados. Há, ainda outros, que são contra o dízimo porque não estão convencidos de que este é o claro ensino das Escrituras.

O dízimo não é uma questão meramente financeira. Trata-se do reconhecimento de que tudo o que existe é de Deus. Não trouxemos nada para o mundo nem nada dele levaremos. Somos apenas mordomos de Deus e, no exercício dessa mordomia, devemos ser encontrados fiéis. O dízimo mais do que um valor, é um emblema. É um sinal de fidelidade a Deus e confiança em sua providência. A devolução dos dízimos é uma ordenança divina. Não temos licença para retê-lo, subtraí-lo nem administrá-lo.

De todas as críticas feitas à doutrina do dízimo, talvez a mais frequente seja esta: “O dízimo faz parte da lei cerimonial e esta foi abolida na cruz. Logo estou desobrigado de ser dizimista”. À esta crítica, respondemos que a prática do dízimo está presente em toda a Bíblia. No Antigo Testamento está presente nos livros da lei, nos livros históricos, nos livros poéticos e nos livros proféticos. No Novo Testamento está presente tanto nos evangelhos como nas epístolas. É importante dizer que a prática do dízimo é anterior à lei cerimonial (Gn 14.20; 28.18-22). Abrão, quatrocentos anos antes de a lei ser instituída, pagou dízimo a Melquisedeque, tipo de Cristo (Hb 7.1-10). O dízimo foi incluído na lei, pois foi a maneira de Deus prover o sustento da tribo de Levi, aqueles que trabalhavam no ministério (Lv 27.30-33; Nm 18.21-32; Dt 14.22-29; 18.1-8).

Da mesma forma, os que estão no ministério hoje, na vigência da nova aliança, devem viver do ministério. Os mesmos princípios usados na antiga aliança são também usados na nova aliança para tratar do sustento dos obreiros (1Co 9.7-14). Embora a ordem levítica tenha cessado com o advento da nova aliança, os dízimos não cessaram, porque Abraão como pai da fé pagou o dízimo a Melquisedeque, tipo de Cristo, e nós, como filhos de Abraão, pagamos o dízimo a Cristo, sacerdote da ordem de Melquisedeque (Hb 7.4-10).

Aqueles que usam Mt 23.23 para dizer que Jesus sanciona o dízimo antes da inauguração da nova aliança, mas que depois de sua morte, essa sanção não era mais válida, esquecem-se de que junto ao dízimo Jesus menciona também outros preceitos da mesma lei (a justiça, a misericórdia e a fé): “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas” (Mt 23.23). Se estamos desobrigados do dízimo, por ser da lei, deveríamos também estar desobrigados desses outros preceitos da lei, ou seja, a justiça, a misericórdia e a fé. Fica evidente que Jesus reprova os escribas e fariseus pelo sua prática legalista e meritória do dízimo. Pensavam que o dízimo era uma espécie de salvo conduto. Imaginavam que por serem dizimistas tinham licença para negligenciar os outros preceitos da lei. Na verdade, os escribas e fariseus, besuntados de hipocrisia, estavam superestimando o valor do dízimo e menosprezando os principais preceitos da lei. Ao mesmo tempo, porém, que Jesus reprova a visão distorcida dos escribas e fariseus, que davam uma super-ênfase ao dízimo em detrimento da justiça, da misericórdia e da fé, referenda a prática do dízimo. Apesar dos desvios de uns e das críticas de outros, devemos continuar fiéis a Deus, na devolução dos dízimos, pois este é o claro ensino das Escrituras.





Por Rev. Hernandes Dias Lopes

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Versículos do Dia

Versículos do Dia


Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como insensatos, mas como sábios,
aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus.
Efésios 5:15,16

PÃO DIÁRIO - 31/08/2015 - Regras do desapego


Regras do desapego

Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres. —João 8:36

Em seu livro Jogue fora 50 coisas, (Ediouro, 2010), a autora Gail Blanke destaca quatro “Regras do Desapego” para ajudar as pessoas a eliminarem a desordem de suas vidas. A primeira regra declara: “Se isso… lhe traz peso, entulha ou simplesmente faz você se sentir mal consigo mesmo, jogue fora, dê, venda, deixe-o ir, siga em frente.”
Acho que esta regra de desapego tem uma aplicação espiritual também: Não devemos permanecer ligados ao pecado do passado. Os irmãos de José lutaram com isto. Anos depois de terem vendido José como escravo, recordaram-se de sua crueldade e temiam vingança (Gênesis 50:15). Assim, enviaram uma mensagem a José, implorando por perdão (vv.16-17). Eles fizeram isto apesar das ações misericordiosas e garantias demonstradas anteriormente pelo irmão deles (45:4-15).
Muitos de nós permanecemos ligados às antigas ofensas apesar da misericórdia e do perdão daqueles a quem podemos ter ferido. No entanto, a verdadeira liberdade surge quando confessamos a nossa transgressão a Deus. Ele a perdoa (1 João 1:9) e nos afasta dela (Salmo 103:12). Como o versículo de Miqueias 7:19 afirma, Ele lança nossos pecados nas profundezas do mar! Por causa disto, podemos nos lembrar de que o Filho nos libertou e nós somos verdadeiramente livres (João 8:36).
— Jennifer Benson Schuldt

Leia: Gênesis 50:15-21 


Examine: A Bíblia em um ano: Salmos 43-45;Atos 27:27-44


Considere: O preço da nossa liberdade do pecado foi pago pelo sangue de Jesus.

CONFISSÃO INEXISTENTE

Resultado de imagem para CONFISSÃO INEXISTENTE

E morador nenhum dirá: Enfermo estou; porque o povo que habitar nela será absolvido da sua iniquidade. Isaías 33.24


Será que estamos frustrando o Senhor na realização da obra que Lhe custou um alto preço, dizendo, por meio das nossas atitudes, que as Suas declarações foram exageradas? Muitas pessoas nos chamam de fanáticos quando afirmamos que quem viver em comunhão verdadeira com o Pai celestial – crendo e desfrutando do Evangelho – não experimentará nenhum mal. No entanto, a Palavra diz exatamente isso.

A obra realizada por Jesus no Calvário não é um remendo colocado em um vestido rasgado, mas algo de grande importância para a nossa felicidade; afinal, fomos absolvidos da iniquidade. Por isso, não devemos fazer nada quando um pensamento sujo, negativo ou mesmo maligno assaltar a nossa mente. Temos de viver sob a direção bíblica; caso contrário, por mais que desejemos estar fora das perversas obras do diabo, não conseguimos.

Os filhos de Israel foram orientados a destruir todas as nações da terra de Canaã (Dt 7.1-3); porém, apesar de conhecerem o Autor da ordem, deixaram vários moradores vivos, os quais, mais tarde, tornaram-se verdadeiros espinhos para eles. O mesmo ocorre com aqueles que são condescendentes com as tentações, achando que não há necessidade de se abster radicalmente de toda aparência do mal. Essas pessoas vivem cheias de problemas.

Veja o que há de errado em seu coração, seus desejos, na maneira como fala e responde às pessoas e, principalmente, quando não dá atenção as declarações da Bíblia. Deus é perfeito e nunca estará ultrapassado pelo modismo – o qual, em todas as gerações, varre o mundo – nem Se equivocará. Quem deseja andar ao lado dEle deve ficar atento às Suas palavras e nunca, sob nenhuma condição, se deixar levar pelas mentiras do diabo.

O Onipotente fez a obra completa, mas, como Adão, temos comido do fruto proibido, porque achamos que não há nada demais em cobiçar alguém, pensar em algo impuro e fazer o que Ele terminantemente proibiu. Tudo o que Deus nos fala é para o nosso bem-estar, nossa segurança, para não cairmos nas mãos do maligno. Há bênçãos em cumprir os preceitos divinos.

Ainda não entendemos que, quando deixamos qualquer coisa por amor de Cristo e do Evangelho, recebemos 30, 60 e 100 vezes mais, com perseguições e lutas que, muitas vezes, exigem orações e jejuns (Mc 10.30). Os obedientes e aplicados em cumprir os desejos do Pai nunca se decepcionarão; ao contrário, serão bem-sucedidos e felizes na obra dEle. São dessas pessoas que o Onipotente precisa.

O que você tem feito em relação a essa verdade? Você tem podido falar que está curado? Ou tem confessado que não entende o Senhor? Ora, quem não faz conforme Ele ordenou convive com “espinhos” ao seu redor. Entregue o seu caminho ao Senhor, confie nEle, e tudo Ele fará (Sl 37.5).

Em Cristo, com amor,




R. R. Soares

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Versículos do Dia

Versículos do Dia


Deus justo, que sondas as mentes e os corações, dá fim à maldade dos ímpios e ao justo dá segurança.
Salmos 7:9


PÃO DIÁRIO - 30/07/2015 - Sabedoria


Sabedoria

Não havendo sábia direção, cai o povo, mas na multidão de conselheiros há segurança. —Provérbios 11:14

A descrição on-line do livro Sabedoria das Multidões (Record, 2006) relata que: “Neste livro fascinante, o colunista de negócios nova-iorquino James Surowiecki explora uma ideia aparentemente simples: Grandes grupos de pessoas são mais inteligentes do que uma pequena elite, não importa o quão brilhante — são melhores na resolução de problemas, promovendo inovação, tomando decisões sábias e até prevendo o futuro.”
O autor usa uma variedade de coisas, que vão desde a cultura pop à política, para apresentar um pensamento básico: na maioria das vezes, a multidão acerta. É uma teoria interessante, mas que provavelmente só entraria em debate durante anos eleitorais ou quando o concorrente favorito de alguém fosse eliminado de um reality show.
Embora a Bíblia esclareça que a sabedoria das multidões pode não ser confiável e pode ser perigosa (Mateus 7:13-14), há outra maneira em que a sabedoria coletiva pode ser útil. No livro de Provérbios 11:14, lemos: “Não havendo sábia direção, cai o povo, mas na multidão de conselheiros há segurança.” Um dos benefícios do corpo de Cristo é o fato de podermos ajudar uns aos outros — em parte ao trabalharmos juntos para buscar a sabedoria divina. Quando nos unimos para buscar os propósitos de Deus, encontramos a segurança em Sua provisão para cada um e recebemos a Sua sabedoria para os desafios da vida.
— Bill Crowder

Leia: 1 Coríntios 1:18-25 


Examine: A Bíblia em um ano: Salmos 46-48;Atos 28


Considere: Buscamos melhor a sabedoria de Deus quando a buscamos unidos.